Quatro lições de Parasitologia

20.00

Em stock

REF: 1697. Categoria: .

Catálogos

2017

Idiomas

Português

Local

Lisboa

Data

1925

Nº Páginas

126-[4]

Formato

26,5 cm

Anexos

ilustrado

Capa

br.

Descrição

«Conferências feitas em 7, 9, 11 e 13, de Dezembro de 1925, na Faculdade de Medicina de Lisboa, no Primeiro Centenário da Régia Escola de Cirurgia». Ilustrado com desenhos no texto. «Carlos França foi um dos maiores investigadores portugueses no campo da medicina. Este homem da ciência nasceu em Torres Vedras, em 1877, e faleceu em Lisboa a 17 de Julho de 1926, tendo sido sepultado, no dia imediato, no cemitério de Colares, povoação que escolheu para viver e trabalhar, mais precisamente na Quinta Mazziotti. Com uma lista bibliográfica, no domínio das publicações científicas, que atinge o número de 187, Carlos França efectuou importantíssimas descobertas na área da Bacteriologia e, muito particularmente, na Protozoologia. Produziu notáveis trabalhos sobre a meningite cérebro-espinal, iniciando para o tratamento desta doença as punções lombares e injecções de lisol, tendo, em colaboração com o dr. Brandão de Vasconcelos, salvo muitos doentes na região de Colares. Fez parte da missão de estudo da peste bubónica no Porto, chefiada por Câmara Pestana, doença que contraiu, embora tenha resistido, ao contrário do seu mestre. Chefiou, em França, a Secção de Higiene e Bacteriologia durante a 1ª Grande Guerra; e na Madeira desenvolveu pioneiros serviços de defesa e assistência sanitária. A obra deixada por Carlos França é considerada uma das maiores de todos os tempos na ciência portuguesa, julgando-se no estrangeiro que Colares, onde o grande sábio residiu e trabalhou, era um centro universitário. O monumento que perpetua a sua memória foi riscado pelo arq.º Norte Junior, enquanto que o busto, em bronze, é obra de Artur Anjos Teixeira. Fonte: Câmara Municipal de Sintra. – In Nuno Saraiva “Colares – Entre o mar e a serra”». Exemplar em muito bom estado, por abrir.